POESI@ VIRTU@L_sério contos

Garoa desta terra

A cidade que não pára

É a cidade de tantas coisas

É a solidão na multidão

É multidão e vontade de ir embora

A cidade que não pára

É multidão de medo

Poluição e desejo dos desejos.

Mas quando cai à noite…

É a brisa suave vinda do litoral

É o engarrafamento da marginal

É cultura e inferno

Cidade de tantas coisas!

Confusões e passado de histórias

Abrigo e desabrigo, garoa e medo!

Refúgio na Internet

Acasos e testemunhas oculares.

Esta cidade não mente

Maltrata gente, acolhe a igreja.

É Deus na esperança

Faca e sangue na calçada

Ela é abstrata, é impacto na água.

A cidade que não pára!

É vontade de ir embora

É a cidade de tantas coisas

Mas é a cidade que ensina

Parceira e menina

Na rua e no arranha céu

De preto e branco acabou.

Ernani Baraldi – 30 de março de 2008 04:23 AM


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s